Bahia
  • Webmail
  • Fale Conosco
  • Twitter
  • Facebook
  • Sesc Nacional
  • Fecomercio

Agenda Teatro Sesc Senac Pelourinho

 

 

 

 


MOSTRA SESC DE ARTES – ALDEIA PELOURINHO
O Sesc realiza a 13ª edição da Mostra Sesc de Artes – Aldeia Pelourinho, uma das mais relevantes e significativas ações culturais que acontece no Centro Histórico de Salvador. São oito dias de intensa programação artístico-cultural tendo como palco a sala principal e a arena do Teatro Sesc-Senac Pelourinho e as ruas do Centro Histórico.
Inserida no Programa “Aldeias - Mostras de Teatro, Arte e Cultura do Sesc”, a Mostra é uma realização do Serviço Social do Comércio, em parceria com o Departamento Nacional do Sesc. Criadas com o intuito de intensificar a troca de experiências e vivências entre artistas e integrantes da cadeia produtiva cultural, as Aldeias foram assim denominadas por aglutinar artistas, comerciários e públicos diversos em um determinado território. Esse encontro estimula o desenvolvimento, difusão, sustentabilidade, descentralização e democratização do acesso à cultura.
A Mostra, de acordo com os demais projetos do Sesc na área cultural, oferece uma programação de qualidade a preços populares nas linguagens de teatro de rua, teatro adulto e infantil, circo, música, concerto, intervenção urbana, além da realização de laboratório de criação cênica, mostra de filmes, roda de conversa e  oficina de crítica teatral. Ao todo, contempla 14 apresentações de 8 grupos oriundos dos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Mato Grosso e Bahia, que inclui ações dos projetos Palco Giratório e Sonora Brasil. Teatro Sesc-Senac Pelourinho, de 30/09 a 7/10. Informações: 3324-4518/29.


Programação:

Dia 30 de setembro (sábado)

16h (Terreiro de Jesus) - Caliban, A Tempestade de Augusto Boal. Para dar continuidade à pesquisa de teatro de rua, a Cia Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS) escolheu a versão de Augusto Boal da peça de Shakespeare e do pensamento do cubano Retamar para questionar a exploração da América do Sul pelo colonialismo europeu e para discutir a postura neocolonialista dos Estados Unidos. Classificação: livre. Entrada franca.

19h - Coco de Tebei (PE). Esse coco é praticado por um grupo de agricultores e tecelões da comunidade Olho D’Agua do Bruno, na cidade de Tacaratu, Pernambuco, localizada na região do Médio São Francisco, próximo à divisa com Bahia e Alagoas. As irmãs Maria Araújo, Maria Feitosa, Antônia Germana e Maria do Carmo contam que a prática do Coco de Tebei vem de gerações passadas, e com muito orgulho citam seus avós e bisavós como pessoas que ajudaram a cultivar essa tradição. Em suas memórias a dança do coco está associada à construção de casas de taipa, quando as famílias se reuniam em adjutório para “taipar” uma nova casa. O Coco de Tebei é cantado por mulheres e dançado por casais. Não utiliza instrumentos e a base rítmica é marcada pela pisada dos dançadores. Classificação: livre. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).


Dia 1º de outubro (domingo)
16h (Terreiro de Jesus) – Caliban, A Tempestade de Augusto Boal. Para dar continuidade à pesquisa de teatro de rua, a Cia Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS) escolheu a versão de Augusto Boal da peça de Shakespeare e do pensamento do cubano Retamar para questionar a exploração da América do Sul pelo colonialismo europeu e para discutir a postura neocolonialista dos Estados Unidos. Falar em Caliban implica em tornar visível as inumeráveis contradições e complexidades que configuram as sociedades contemporâneas marcadas pela ferida colonial. Classificação: livre. Entrada franca.


Dia 3 de outubro (terça-feira)
15h (Ruas do Centro Histórico) – Maiêutica – Intervenção Urbana. Raquel Mützenberg (MT), atriz e mestra em Estudos de Cultura Contemporânea, criou a performance baseada no material coletado a partir do contato com gestantes, parturientes, doulas, notícias jornalísticas e discussões de grupos sobre parto humanizado, violência obstétrica e misoginia. A investigação iniciou como uma pesquisa acadêmica e se desdobrou em intercâmbios com artistas de distintas áreas, prevalecendo o diálogo interdisciplinar durante sua construção. Classificação: livre. Entrada franca.

19h30 - Desconcerto em Ri Maior
O Núcleo Circo Único (BA) apresenta um coral performático, lúdico e irreverente que, sem desvalorizar a música, revela a graça das canções através de um olhar peculiar e brincalhão. O Coral é composto por palhaços músicos e músicos palhaços, onde a palhaçada é desconcertante e música mostra sua graça sem perder o tom. Classificação: livre. Entrada franca.


Dia 4 de outubro (quarta-feira)
19h30 - Ledores no Breu. Inspirado no pensamento e na prática do educador Paulo Freire e nas obras do poeta Zé da Luz e do ficcionista Guimarães Rosa, o espetáculo, encenado pela Cia do Tijolo (SP), trata das relações entre o homem da leitura, das letras e do mundo ao seu redor. Um homem que por não poder ler as letras comete um crime contra seu amor e contra si mesmo; outro homem que desperta para as artimanhas e dubiedades da palavra ou alguém que reinventa o afeto a partir das letras que formam um nome. Personagens que a partir de suas relações com as letras e as palavras têm suas vidas profundamente transformadas. Classificação: 14 anos. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).


Dia 5 de outubro (quinta-feira)

19h30 - Ledores no Breu. Inspirado no pensamento e na prática do educador Paulo Freire e nas obras do poeta Zé da Luz e do ficcionista Guimarães Rosa, o espetáculo, encenado pela Cia do Tijolo (SP), trata das relações entre o homem da leitura, das letras e do mundo ao seu redor. Um homem que por não poder ler as letras comete um crime contra seu amor e contra si mesmo; outro homem que desperta para as artimanhas e dubiedades da palavra ou alguém que reinventa o afeto a partir das letras que formam um nome. Personagens que a partir de suas relações com as letras e as palavras têm suas vidas profundamente transformadas. Classificação: 14 anos. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).


Dia 6 de outubro (sexta-feira)
15h - Meu Quintal. Os atores do grupo ViaPalco (BA) apresentam um pouco de imaginação, alguns objetos e muita criatividade. Um grupo de crianças se encontram em um quintal e se divertem com as brincadeiras tradicionais do folclore e do imaginário infantil, mostrando que brincar sem a utilização de eletrônicos e brinquedos convencionais pode ser uma viagem incrível! Classificação: livre. Entrada franca.

17h e 19h30 - O Filho. Espetáculo, encenado pelo grupo Teatro da Vertigem (SP), é inspirado em “Carta ao Pai”, escrita por Franz Kafka (1883-1924) em 1919, endereçada a seu pai e nunca enviada. Um documento vivo da relação conflituosa entre os dois. Na encenação, o corrosivo acúmulo de raiva e frustração é expandido quando o filho também se torna pai. Mas o espetáculo extrapola a atmosfera opressiva do lar, atualizando as noções de vigilância e punição para além das paredes domésticas e investigando as estruturas essenciais do homem e sua busca desesperada de sentido. Classificação: 16 anos. Entrada franca (50 espectadores por sessão).
.

Dia 7 de outubro (sábado)
17h e 19h30 - O Filho. Espetáculo, encenado pelo grupo Teatro da Vertigem (SP), é inspirado em “Carta ao Pai”, escrita por Franz Kafka (1883-1924) em 1919, endereçada a seu pai e nunca enviada. Um documento vivo da relação conflituosa entre os dois. Na encenação, o corrosivo acúmulo de raiva e frustração é expandido quando o filho também se torna pai. Mas o espetáculo extrapola a atmosfera opressiva do lar, atualizando as noções de vigilância e punição para além das paredes domésticas e investigando as estruturas essenciais do homem e sua busca desesperada de sentido. Classificação: 16 anos. Entrada franca (50 espectadores por sessão).

21h - Ifá. Com os ouvidos no mundo, o grupo Ijexá Funk Afrobeat (BA) apresenta um repertório autoral inspirado na diversidade musical de matriz africana e suas conexões com a Bahia contemporânea. Navegando pelas rotas sonoras do Atlântico Negro, mergulhando no universo do afrobeat, dub, reggae, funk e no ritmo do ijexá, dos blocos afro e afoxés da Bahia, o show ratifica a importância da música como elo histórico entre as culturas negras da diáspora, fazendo do seu discurso um manifesto de afirmação e estética. Classificação: 12 anos. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).

 

DEZ ANOS UMBILICANDO MÚSICA E POESIA AFRODIASPÓRICAS

 

Espetáculo que celebra os dez anos de carreira solo do cantor, compositor, poeta e filósofo Juraci Tavares, com canções e poesias, possibilidades reflexivas e inquietantes, assim como a importância da afro diáspora para a formação da cultura brasileira. Classificação: livre. Teatro Sesc-Senac Pelourinho, dias 13 e 14/10, às 19h30. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).


 

 

 

 

 

 

 

 

MISTÉRIOS CORRUPIANTES
Em comemoração ao Dia das Crianças, o Grupo Corrupio apresenta um show rico em ritmos brasileiros e que trata das questões intrigantes, da vida, dos animais e do cotidiano. Com muita alegria e leveza, a ideia é brincar com as perguntas e as respostas que estão no desdobrar da infância. O Grupo tem formação voltada para estudo da cultura da infância, desde a fonoaudiologia e psicologia à musicalização. Classificação: livre. Arena do Teatro Sesc-Senac Pelourinho, dia 14/10, às 16h. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).




DE 2 EM 2 – PARA INTÉRPRETES E AFINS
Os artistas baianos Tito Bahiense e Simões tocam canções autorais, propõem um retorno à matriz da música brasileira – banquinho e violão – e afirmam a possibilidade de se criar uma cena musical que aproxima o compositor/autor do público, ao expor seu universo de referências, seu modo pessoal de criar, sua visão de mundo. Classificação: livre. Teatro Sesc-Senac Pelourinho, dia 19/10, às 19h30. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).




CIRCULAÇÃO IN-CENA – 10 ANOS
O Grupo In-Cena de Teatro (MG) comemora 10 anos de um trabalho ininterrupto. Com foco na pesquisa do teatro contemporâneo, com ênfase nas questões existências do ser humano e na cultura regional, foi o primeiro grupo do Vale do Mucuri a profissionalizar-se e a ter o seu trabalho reconhecido em várias partes do Brasil e da América Latina. Teatro Sesc-Senac Pelourinho, dia 20/10, às 19h30 – Espetáculo “As Margens” (14 anos); e dia 21/10, às 19h30 – Espetáculo “Em Verdade Vos Digo” (16 anos). Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).


 

PASSAREDO PASSARINHOLAS

 Espetáculo de contação de histórias do Grupo Vilavox (BA) inspirado nas narrativas populares dos griots. Utiliza elementos do universo infantil resinificando os brinquedos populares para dar teatralidade aos contos (africano, indígena e brasileiro), explicando a origem das coisas segundo a ancestralidade das tradições orais. Classificação: livre. Teatro Sesc-Senac Pelourinho, dias 21 e 28/10, às 18h. Ingressos: R$20, R$16 (comerciário/dependente com Carteira Social Sesc atualizada) e R$10 (meia).

    

 

 

FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTES CÊNICAS DA BAHIA - FIAC
Um dos mais importantes festivais do gênero do Brasil comemora sua décima edição. Arena/Teatro Sesc-Senac Pelourinho, Acompanhe a programação completa do festival no site www.fiacbahia.com.br

 

 

Maiores informações: Tel. (71) 3324-4520
Horário de funcionamento da bilheteria:
Segunda a sábado - das 14h às 19h