Facebook Instagram Twitter Fale Conosco
Educação Saúde Cultura Lazer Assistência

 

MOSTRA SESC DE CINEMA – 2019

 

Entre os meses de novembro e dezembro, as unidades do Sesc Bahia nas cidades de Salvador, Vitória da Conquista, Barreiras, Porto Seguro e Santo Antônio de Jesus realizam a 3ª Mostra Sesc de Cinema, projeto que tem como objetivo promover a difusão do circuito cinematográfico brasileiro, sendo uma iniciativa de valorização da produção audiovisual no país. Lançada em 2017, conta com representantes de todas as regiões, procurando ampliar o acesso da população a uma filmografia que expresse a diversidade da produção contemporânea.


Na edição de 2019 foram inscritos 1200 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, provenientes de 210 cidades. A Mostra será lançada entre os dias 2 e 9 de novembro em Paraty-RJ. Após isso, as obras selecionadas serão exibidas em todo país até 15 de dezembro de 2019.


Para exibição na Bahia, os filmes selecionados serão exibidos dentro de três categorias: Panorama Brasil, Panorama Bahia e Panorama Infantojuvenil. Os Panoramas Brasil e Infantojuvenil são compostos por 32 e 10 filmes oriundos das cinco regiões do país, entre curtas, médias e longas. O Panorama Bahia é composto por um total de 24 filmes, das cidades de Salvador, Cachoeira, Ipiaú e Juazeiro.

 

Em Salvador, além das exibições dos três Panoramas, serão realizadas também oficinas e debates. Teremos as oficinas de Crítica cinematográfica, com Adolfo Gomes; Introdução ao Roteiro Audiovisual – Obras de narrativas negras, com Susan Kalik; e Produção audiovisual com aparelhos móveis, com Ariel Dibernaci.


Programação

Exibição dos filmes

Sesc Vitória da Conquista

16, 19, 23, 26 e 30 de novembro e 03 e 10 de dezembro.

[Baixe aqui o folder com a programação completa.]

 

Teatro Sesc Senac Pelourinho, Salvador

20, 21, 22, 23, 25, 26, 27, 28, 29 e 30 de novembro.

[Baixe aqui o folder com a programação completa.]

 

Sesc Barreiras

21, 23, 28 e 30 de novembro e 03, 05 e 10 de dezembro.

[Baixe aqui o folder com a programação completa.]

 

Sesc Porto Seguro

28, 29 e 30 de novembro e 01, 03, 07 e 08 de dezembro.

[Baixe aqui o folder com a programação completa.]

 

Sesc Santo Antônio de Jesus

03, 04, 05, 06, 10, 11 e 12 de dezembro.

[Baixe aqui o folder com a programação completa.]

 

Oficinas

 

Oficina de Introdução ao Roteiro Audiovisual - Obras de narrativas negras, com Susan Kalik

Data: 26 a 29 de novembro

Horário: 9h às 13h

Local: Teatro Sesc Senac Pelourinho

Ementa: Introdução aos conceitos iniciáticos, ferramentas e estruturas da escrita de roteiros audiovisuais, com aulas expositivas, tendo como ponto de partida filmes com narrativas negras de conteúdo documental e ficcional, dirigidos ou produzidos pela facilitadora Susan Kalik, e que além de extensa participação em Festivais e Mostras Nacionais, foram selecionados nas três edições da Mostra Sesc de Cinema.

Facilitadora: Susan Kalik (Roteirista, diretora e produtora. Em 2019 foi selecionada para a Residência Base de Roteiros, com Barra Azul, seu novo longa. Ficou entre os 10 finalistas do FRAPA 2019, maior concurso de roteiros da América Latina e foi selecionada para o SESC Novas Histórias, com Lafond, roteiro desenvolvido no Edital de Novos Roteiristas do MINC. Recebeu o prêmio de Melhor Roteiro na Mostra SESC de Cinema Bahia 2017, com Cores e Flores para Tita, prêmio de Melhor longa baiano no Panorama Internacional Coisa de Cinema 2018, para Bando, um filme de, onde é diretora assistente e produtora e seu média Do que aprendi com minhas mais Velhas, sobre Candomblé, onde é roteirista e diretora foi escolhido como um dos dez filmes para representar o Brasil na Rede de Salas Digitais do MERCOSUL 2019. É sócia da Modupé Produtora, produtora do NATA- Núcleo Afro-brasileiro de Teatro de Alagoinhas, roteirista das Tirinhas do Lazinho e produtora de conteúdo de Humor do programa Se Joga da TV Globo).

 

Oficina de Crítica Cinematográfica, com Adolfo Gomes

Data: 25 a 30 de novembro

Horário: 9h às 12h20

Local: Museu da Enfermagem, no Pelourinho

 

Ementa: Através da exibição de trechos de filmes e de alguns curtas-metragens na totalidade, leitura de textos críticos e com base em uma abordagem transversal (a inserção de conceitos e perspectivas, sobretudo, das artes plásticas e da música); a oficina vai abordar, a cada aula, um aspecto do processo histórico de formação do pensamento crítico já consolidado e, ainda em curso, sobre o audiovisual (Aula 1 – A consolidação do cinema como arte: história e desconstrução; Aula 2 - Pioneiros da crítica cinematográfica no Brasil; Aula 3 – A elaboração de um olhar crítico; O cinema brasileiro contemporâneo e os regimes de representação; Aula 5 - A escrita crítica, reflexões e exemplos).

Facilitador: Adolfo Gomes (Jornalista, crítico de cinema (Abraccine) e cineclubista. Ministrou as oficinas “Olhar o cinema – uma introdução à cinefilia” (Iphan – Belém-PA), “Cinema Corsário – uma viagem pelos filmes de gênero” (Panorama Internacional Coisa de Cinema) e “Gostoso de ver: uma revisão da pornochanchada brasileira” (Festival Internacional Lume de Cinema). Curador e jurado  de mostras e festivais, também organizou ciclos como “O Mito de Dom Sebastião no Cinema” e "Somos todos marginais, do udigrúdi à pornochanchada". Colaborou com as revistas eletrônicas Contracampo e CineRocinante. Atualmente é crítico do portal de internet "Cabine Cultural").

 

Oficina MOBGRAFANDO, com Ariel L. Dibernaci

Datas: 25 e 26 de novembro

Horário: 13h às 17h

Local: Sesc Nazaré

 

Ementa: A oficina de Mobgrafia tem como objetivo entender o aparelho de celular enquanto uma ferramenta de possibilidades. Nesse sentido, a proposta é apresentar esses dispositivos como uma porta de entrada, apurando o olhar dos alunos através de subsídios teóricos e práticos.

Facilitador: Ariel L. Dibernaci (Graduado em Produção em Tecnologia Audiovisual pelo Centro Universitário Jorge Amado, cofundador da produtora audiovisual/coletivo de cinema independente "Saturnema Filmes" e integrante do coletivo de cinema "Gran Maître Filmes”. Dirigiu em 2016 o curta "Cantos dessa Cidade”, finalista do concurso DirecTV Cinema+ da SKY, escreveu e co-dirigiu o curta metragem “A Sete Tragos do Chão”, em 2018. Atualmente está dirigindo curta metragem “Tubarão de Água Doce”, o qual também assina o roteiro.)

 

As inscrições estarão abertas a partir de 04 de novembro, através do link http://bit.ly/OficinasMostraSescdeCinema. O pagamento será feito no primeiro dia da oficina no valor de R$30,00. Comerciários e dependentes, mediante apresentação do Cartão Sesc, paga R$15,00.

 

 

CONFIRA A SINOPSE DAS OBRAS:

 

PANORAMA INFANTOJUVENIL

 

A câmera de João (GO)

O filme acompanha a jornada do garoto João que traz consigo as heranças e memórias de seu avô Zeca retratadas por meio da curiosidade e paixão pela fotografia. Curioso, João interage com as lembranças da cidade e com as memórias dos seus avós.

22min

Média-metragem

Ficção, 2017

Classificação indicativa: livre

Direção: Tothi cardoso

 

Clandestino (SE)

Tereza é uma garota comum com uma imaginação incomum. No caminho para encontrar sua mãe e entregar uma encomenda muito preciosa, sua imaginação corre livre pelas paisagens do interior. O que poderia ser mais uma viagem de ônibus em companhia de sua avó se torna uma grande aventura.

24min

Média-metragem

Ficção, 2017

Classificação indicativa: livre

Direção: Barush Blumberg

 

Cravo, Lírio e Rosa (RJ)

Cê, uma menina de oito anos, tropeça no cadáver de uma adolescente. A aparição do corpo muda drasticamente a vida de Cê e de sua irmã mais velha, Sara. A mais nova se comunica com os mortos como válvula de escape para a solidão, enquanto a mais velha tem que lidar com assédio e com a vulnerabilidade de seu corpo.

20min

Média-metragem

Ficção, 2018

Classificação indicativa: 14 anos

Direção: Maju de paiva

 

Hornzz (RJ)

Hornzz é um curta de animação 2d de Lena Franzz. A inspiração de experiências pessoais da autora é contada por meio de uma linguagem surrealista.

5min

Curta-metragem

Ficção, 2019

Classificação indicativa: livre

Direção: Lena franzz

 

Icamiabas (PA)

Um explorador comercial inveterado, o Bio Pirata, foi até a feira do Veropa para pilhar bem no dia em que as Icamiabas tinham ido fazer a feira para Tupam. Derrotado, ele decide se vingar juntando as duas inocentes criaturas, o Mapim e o Guari, em uma enorme e destruidora força de comer que pode acabar com a Feira do Veropa rapidinho, o insaciável Mapimguari!

12min

Curta-metragem

Ficção, 2017

Classificação indicativa: livre

Direção: Otoniel Oliveira

 

Lily's Hair (GO)

Lily é uma garota negra que mora com sua família no Conjunto Vera Cruz, bairro da periferia de Goiânia. Ela se orgulha muito de sua negritude, mas não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, faz de tudo para conseguir fazer com que seus cabelos fiquem do jeito que sempre sonhou.

15min

Curta-metragem

Ficção, 2019

Classificação indicativa: livre

Direção: Raphael Gustavo da Silva

 

O Malabarista (GO)

Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

11min

Curta-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Iuri Moreno

 

Parda (RJ)

Um regime autoritário planeja restaurar a supremacia branca no Brasil. Sua primeira medida é exigir a volta ao país de todos os brasileiros brancos vivendo no exterior. Em meio ao caos político, Tai precisa provar que não é branca, mas se depara com a própria incerteza sobre sua identidade racial. O filme desbrava o território ambíguo do conceito de raça no Brasil, seguindo rastros deixados pelo passado colonial e pela história familiar da diretora. Uma viagem exploratória entre a ficção e o documental.

29min

Média-Metragem

Ficção, 2019

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Tai Linhares

 

 

Vivi Lobo e o Quarto Mágico (PR)

Muito prazer! Meu nome é Vivi Lobo. Esta história é sobre as portas que devemos abrir ao longo da vida, enquanto humanos, enquanto meninas.

13min

Curta-Metragem

Ficção, 2019

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Isabelle Santos e Edu MZ Camargo

 

 

PANORAMA BRASIL

 

A Besta Pop (PA)

Em um futuro distópico durante o último dia que antecede o apocalipse, em meio à implementação de um governo totalitarista, fanatismo religioso e a alienação da sociedade, um grupo de jovens decide burlar o toque de recolher como modo de escapismo do tédio de suas vidas. Eles têm seus caminhos entrelaçados no melhor lugar para estar no fim do mundo, na festa A Besta Pop.

81min

Longa-Metragem,

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: 16 Anos

Direção: Artur Tadaiesky, Fillipe Rodrigues e Rafael B. Silva

 

 

A praga do cinema brasileiro (DF)

O filme se inicia com uma ficção de terror na qual o personagem Zé do Caixão vai ao Congresso Nacional rogar uma de suas famosas pragas. Ao fim da praga, quando bate o seu poderoso tridente no chão, ele liberta filmes “aprisionados pelo Capetal”. A partir de então o curta se utiliza de vários recortes de filmes brasileiros, que datam de 1962 a 1991, ficções e documentários, que foram encadeados a fim de criar uma narrativa que refletisse o Brasil de 2018, num complexo trabalho de pesquisa e montagem.

27min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: William Alves e Zefel Coff

 

Abrindo as janelas do tempo (SC)

Aprisionada em si mesma, a personagem central luta para encontrar-se e viver no presente. Suas confusões temporais envolvem o espectador fazendo-o experimentar de perto essas vivências. A história se passa num vilarejo caiçara em três épocas diferentes, revelando muita sensibilidade. O filme traduz uma história de amor, de perda, espera e de aceitação.

62min

Média-Metragem

Ficção, 2017

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Santiago José Asef

 

Almofada de penas (SC)

Logo após sua lua de mel, Alicia contrai uma doença inexplicável, enquanto seu marido Jordão presencia tudo de modo indiferente. Algo oculto a está enlouquecendo. A doença faz a jovem mulher mesclar a realidade com alucinações monstruosas.

12min

Curta-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Joseph Specker Nys

 

Aqueles dois (CE)

Caio José tem 25 anos e é enfermeiro. Kaio Lemos tem 38 e é pesquisador acadêmico. Eles têm boa formação intelectual, amigos e família, e em nada se diferenciam dos tantos rapazes que vivem realidades similares, não fosse pelo fato de serem homens transgêneros.

15min

Curta-Metragem, 2018

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Émerson Maranhão

 

Aurora (SE)

No palco de um teatro destruído assistimos a uma peça teatral em que Elizabeth, Mercedes e Crisálida, três mulheres negras em diferentes etapas da vida, revivem tudo o que sofreram com a interpretação de seus próprios conflitos na forma de monólogos interiores.

15min

Curta-Metragem, Documentário, 2017

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Everlane Moraes e Tatiana Monge

 

 

Catadora de gente (RS)

Catadora de gente é Maria Tugira Cardoso. Há 30 anos a personagem do filme dedica sua vida à catação de lixo. Com sua fala lúcida a respeito da vida e de suas complexidades, Tugira narra sua história e propõe ao espectador uma reflexão profunda sobre as desigualdades sociais do Brasil.

18min

Média-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Mirela Kruel

 

Chamando os ventos: por uma cartografia dos assobios (PA)

Chamando os ventos: por uma cartografia dos assobios é um documentário sobre a ação imaginária de chamar os ventos por meio de assobios, uma dinâmica que envolve entretenimento, ancestralidade, afetividade e memória.

14min

Curta-Metragem, Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Marcelo Rodrigues

 

Da curva pra cá (ES)

Dizem que, quando você está sonhando, a única forma de descobrir se é um sonho é acender a luz.

19min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: 10 Anos

Direção: João Oliveira

 

Do outro lado (SP)

Às vésperas de uma importante decisão, a juíza da Corte Suprema de Taiwan recebe uma carta inesperada.

14min

Curta-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Bob Yang

 

Entre parentes (DF)

Um ano após impeachment presidencial, Brasília recebe a maior mobilização indígena durante a 14ª edição do Acampamento Terra Livre, no final de abril. Enquanto isso, na mesma Esplanada dos Ministérios que abriga barracas de povos indígenas de todo o Brasil, parlamentares articulam uma agenda de retrocessos à causa indígena. Os parentes não deixarão de lutar.

28min

Média-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Tiago de Aragão

 

Estrangeiro (PB)

Estrangeiro é uma viagem sensorial e poética pelas memórias de Elisabete (Cecilia Retamoza), uma jovem mulher que viveu sua infância na paradisíaca praia de Tabatinga, no Nordeste do Brasil. Devido a um misterioso trauma, Elisabete abandonou seu lar e nunca mais permaneceu em um só lugar. Aos trinta anos, ela anseia por uma identidade. Elisabete não se sente confortável em sua própria pele, uma estrangeira em seu mundo.

115min

Longa-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: 14 Anos

Direção: Edson Lemos Akatoy

 

Euller Miller entre dois mundos (PR)

Euller Miller é um jovem indígena brasileiro da etnia Kaiwá que sai de sua pequena aldeia nos arredores de Dourados (MS) para cursar odontologia em uma universidade pública a populosa capital do estado do Paraná. O filme acompanha sua complexa transição entre dois mundos contrastantes e a busca de novos horizontes que não impliquem a perda de suas raízes indígenas.

76min

Longa-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Fernando Severo

 

Fabiana (SP)

Fabiana, mulher trans, vive como uma caminhoneira nômade por todo o Brasil durante mais de trinta anos. Porém, a aposentadoria se aproxima e ela deverá deixar para trás suas aventuras na estrada.

89min

Longa-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Brunna Laboissière

 

Francisco (AC)

Francisco tenta viver a sua vida longe de tudo o que lhe faz lembrar um episódio específico na sua infância: a morte do pai, que fora vítima de um crime de ódio difícil de superar. Mas ao encontrar documentos antigos em arquivos velhos em casa, passa a entender o seu papel como homem negro e a importância da luta contra o racismo no Brasil.

20min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Teddy Falcão

 

Guará (GO)

No cerrado habitam lobos-guarás e bandeirantes.

21min

Média-Metragem

Ficção, 2019

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Fabrício Cordeiro e Luciano Evangelista

 

 

Ilha (BA)

Emerson, um jovem da periferia, quer fazer um filme sobre a sua história na Ilha, lugar onde quem nasce nunca consegue sair. Para isso, ele sequestra Henrique, um premiado cineasta. Juntos, eles reencenam a própria vida, com algumas licenças poéticas. O plano começa e a partir de então não há mais limites, afinal, cinema também é jogo.

92min

Longa-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: 16 Anos

Direção: Ary Rosa e Glenda Nicácio

 

Isso me faz pensar (RS)

Isso me faz pensar apresenta a realidade de jovens da periferia de Porto Alegre que vivem a cultura hip hop, enquanto enfrentam cotidianamente situações de preconceito, escassez e violência. O média-metragem vai do raro protagonismo feminino em um ambiente dominado pelos homens às dificuldades em manter o trabalho com a música, a dança ou a poesia. Batalhas de slam, feiras livres, oficinas em escolas, marchas e shows acabam sendo para estes batalhadores um ato de resistência.

25min

Média-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Hopi Chapman

 

Jéssika (RJ)

Anos após deixar sua casa, a travesti Jéssika retorna para sua cidade natal e para a casa de sua mãe.

19min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Galba Gogóia

 

Majur (MT)

A pedido de Majur, o documentário foi gravado em segredo da família. LGBTQ, o indígena é porta-voz e responsável pela Chefia de Comunicação em uma aldeia no interior de Mato Grosso, com a função de acompanhar, assessorar e traduzir do bororo para o português. A obra mostra um período de sua vida pessoal e profissional.

20min

Média-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Rafael Irineu

 

Mateus (PE)

Dois palhaços. Uma estrada. Muitos encontros. Jurema e Bandeira sobem em um Fusca 78 a caminho da Zona da Mata norte-pernambucana, em busca dos palhaços da cultura popular: os Mateus, dos grupos de cavalo-marinho, companheiros da brincadeira de fazer sorrir.

80min

Longa-Metragem

Documentário, 2017

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Dea Ferraz

 

Navios de terra (MG)

Há anos a montanha é deslocada entre dois países (Brasil e China). Rômulo, ex-minerador e agora marinheiro, segue levando parte da montanha e vai ao encontro de outra. Na imensidão do mar, ele conhece outros viajantes, e em momentos febris encontra as memórias e o espírito da terra. Num cotidiano atravessado por outras línguas que ele não fala, mesmo sem entender, as conversas em desencontro acontecem. Assim, Rômulo vai enfrentar dias lentos na imensidão do oceano até o outro continente.

70min

Longa-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Simone Cortezão

 

No rio das borboletas (AM)

Uma escolha, uma consequência. Quando duas irmãs ficam em um impasse se vão ou não em busca de ajuda para a mãe enferma, a decisão muda para sempre o destino de quatro mulheres: Erasmia e Doriana, as duas capazes de decidir; Kallima, irmã mais nova, é autista e vive em um mundo à parte, e Rosa, impotente, só aceita a decisão de embarcarem em uma canoa em busca de ajuda.

21min

Média-Metragem

Ficção, 2017

Classificação Indicativa: 14 Anos

Direção: Zeudi Souza

 

O céu dos índios Desâna e Tuiuca (AM)

O documentário de média-metragem O céu dos índios Desâna e Tuiuca, dos diretores Flávia Abtibol e Chicco Moreira, empreende uma verdadeira aventura por rios amazônicos para tentar desvendar os vestígios de um saber pouco conhecido pelos brasileiros: a astronomia indígena produzida por duas etnias amazônicas. Os Desâna e Tuiuca dominam o conhecimento do céu como saber complementar às suas vidas na terra. Este olhar peculiar estabelece uma relação de cumplicidade entre a terra e o céu que a cultura ocidental tem dificuldades em firmar. Por meio da observação, os índios utilizam as Constelações do Homem Velho, da Ema, da Surucucu, para plantar, migrar, caçar, pescar. Um conhecimento que vem sendo esquecido pelas novas gerações.

26min

Média-Metragem, Documentário, 2017

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Flávia Abtibol e Chicco Moreira

 

 

Orin: música para os Orixás (BA)

Os cantos e ritmos tocados nos terreiros de candomblé tiveram grande influência na construção rítmica de diferentes gêneros da música popular brasileira, como samba, baião, axé music e funk carioca. Orin é o nome iorubá dado às cantigas sagradas do candomblé, que têm o papel de fazer a comunicação entre o mundo material e o espiritual. O documentário longa-metragem mostra a trajetória de Iuri Passos, professor de atabaque no terreiro do Gantois, em Salvador, e primeiro alabê a conquistar o título de mestre em etnomusicologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Praticantes da religião, pesquisadores e artistas como Mateus Aleluia, Letieres Leite, Gerônimo Santana e Gabi Guedes falam sobre a resistência dessa tradição musical e sua relação com a dança, transe e mitologia dos orixás.

73min

Longa-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Henrique Duarte

 

 

Parque oeste (GO)

Depois de ser vítima de violência do Estado, em Goiânia, Brasil, uma mulher reconstrói sua vida, transformando seu luto em luta.

70min

Longa-Metragem Documentário, 2018

Classificação Indicativa: 10 Anos

Direção: Fabiana Assis

 

 

Plano controle (MG)

O ano é 2016. Um golpe da direita derruba a primeira mulher eleita presidenta no Brasil. Nesse contexto político distópico, Marcela usa o serviço de teletransporte de seu celular para deixar o país, mas seu plano é controle.

16min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Juliana Antunes

 

Quando as coisas se desmancham (PR)

Ana é uma adolescente que retorna a Natal para se reaproximar do pai, que está com Alzheimer. Nesse meio-tempo, ela se prepara para as provas do Enem, dá seus primeiros passos nas artes e se pergunta sobre quais caminhos a seguir. Há uma relação clara entre a degradação de um, o florescimento de outro e a busca pelas memórias.

21min

Média-Metragem Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Aristeu Araújo

 

Quilombo Mata Cavalo (MT)

No Quilombo Mata Cavalo, quilombolas distribuídos em seis comunidades resistem para preservar seus traços culturais, manter a integração comunitária e conquistar a regularização das terras herdadas de seus ancestrais.

15min

Curta-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Jurandir Amaral

 

Rasga mortalha (PB)

Com base na lenda da “Rasga Mortalha”, o filme conta a história de Seu Arlindo — um senhor que vive no interior da Paraíba —, que passa a ouvir os rumores da vizinhança e os barulhos da coruja agourenta. Preocupado com a situação, Seu Arlindo passa a acreditar que a coruja está matando as pessoas do município. Assim, ele planeja a captura da ave para acabar de vez com a tristeza da população local.

15min

Curta-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Pattrícia De Aquino

 

 

Tipoia (AL)

Paulo está com seus movimentos reduzidos por uma tipoia e se sente impotente por isso. Mas será ele a única pessoa a se sentir impotente no Brasil de 2016?

17min

Média-Metragem

Ficção, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Paulo Silver

 

Vozes da memória (RO)

Vozes da memória, por meio do registro audiovisual, mostra o olhar contemporâneo da história a partir das vozes da periferia, da juventude, dos artistas, das comunidades indígenas, dos ribeirinhos e imigrantes.

33min

Média-Metragem

Documentário, 2018

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Raissa Dourado

 

 

PANORAMA BAHIA

 

A triste figura (BA)

Maria é filha de um pastor evangélico cheio de segredos. Certa noite, pai e filha são seguidos por uma estranha figura encapuzada.

18min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Calebe Lopes

 

A cada mil lágrimas (BA)

Conduzido por sons diversos, A Cada Mil Lágrimas mostra de forma não convencional, o dia a dia hostil de um jovem negro nas periferias de Salvador e o impacto que essa hostilidade causa nas pessoas ao seu redor.

5min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Thauan Peralva Vivas

 

A mulher no fim do mundo (BA)

Ambientado em um cenário pós-apocalíptico, A Mulher no Fim do Mundo conta a história de Benedita e da garota Lua, duas mulheres negras que viram o velho mundo sucumbir e agora são as únicas sobreviventes no novo mundo. O filme explora o silêncio que perpassa a afetividade entre essas duas mulheres.

20min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Ana Do Carmo

 

A sete tragos do chão (BA)

Alan reencontra Amira, uma antiga amiga, e se vê encurralado em um café numa tarde. O que ele não sabia é que essa tarde podia durar uma eternidade.

20min

Classificação Indicativa: 16 Anos

Direção: Ariel L. Dibernaci e Cláudia Sater

 

 

 

 

A vida é pra valer (BA)

Baseado na música “Marvin” do grupo Titãs, a trama conta a história de Cristóvão, adolescente que precisa assumir as responsabilidades dos seus pais e arcar com as dívidas deixadas por seu pai Antônio ao carrasco Seu Adolfo. Com uma linguagem que flerta entre o lúdico e o realismo fantástico o curta traz referências do novelismo rural.

24min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Marvin Pereira

 

A voar (BA)

A relação simbiótica entre força e cansaço frente ao racismo rege a capacidade para voar ou a necessidade de pousar.

3min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Matheus Leite

 

As balas que não dei ao meu filho (BA)

Ao chegar em casa do trabalho tarde da noite, o policial Jessé não encontra Martinho, seu filho adolescente. Jessé recebe mensagens no grupo de WhatsApp do pelotão relatando uma ocorrência na região onde eles moram. A tensão aumenta quando chegam fotos de jovens mortos durante a ação policial.

13min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Thiago Gomes

 

Corações encouraçados (BA)

João (Carlos Betão) vive no Sertão nordestino e enfrenta o desafio de encontrar água deixando em casa sua esposa Ana (Valdinéia Soriano) sozinha e grávida de nove meses. No cenário fascinante de um Brasil esquecido, Ana reza a espera de um milagre: a chuva. Enquanto isso, João atravessa o sertão na esperança de conseguir levar água para casa, antes que Ana dê a luz.

15min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Cintia Maria e Jamile Coelho

 

De novo não! (BA)

Uma parte da vida de Samuel, uma parte que só ele sabe e os envolvidos...

21min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Luan Jave

 

Dr. Ocride (BA)

O filme aborda a vida e a obra do escritor, advogado e político baiano Euclides José Teixeira Neto. Conhecido como Dr. Ocride pelo povo, Euclides notabilizou-se na luta pela Reforma Agrária. Um dos grandes escritores brasileiros da geração de 30, com 14 obras publicadas, sempre colocou o trabalhador rural como protagonista. Com mais de 40 anos advogando, sempre defendia os trabalhadores rurais. Como prefeito de Ipiaú-BA (1963-1967), desenvolveu práticas socialistas, como a Fazenda do Povo, o primeiro feito bem sucedido da Reforma Agrária da Bahia, projetando a cidade à município modelo do Brasil. Fato este que também o levou a responder por inquérito militar durante a ditadura, em 1964. O documentário mostra como Euclides Neto direcionou sua vida e obra para dar voz aos trabalhadores rurais do sul da Bahia. Sua trajetória dialoga intensamente com os embates vividos no Brasil atual.

85min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Edson Bastos e Henrique Filho

 

Enquanto eu for lembrado (BA)

Meados dos anos 90, Jonas um adolescente de uma pequena cidade do recôncavo da Bahia, se ver em um dilema quando sua avó começa a apresentar mudanças no comportamento e na relação entre eles. Em meio a isso, o introspectivo adolescente se aproxima de um novo morador da cidade, e isso acaba mexendo com ele.

34min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Állan Maia

 

Hunt (BA)

“Hunt” acompanha a vida de Glauber, jovem negro de 19 anos que é um dos melhores jogadores de Hunt, um vídeo game em que o jogador precisa seguir pistas para desvendar enigmas. As pistas, no entanto, têm uma relação direta com monumentos, pontos históricos e curiosidades sobre as cidades – para desvendá-las, então, o jogador precisa conhecer a cidade onde vive.
A história começa quando Glauber é convidado por um homem misterioso a jogar Hunt na “vida real”, um caça tesouro que imita o jogo virtual, só que acontece nas ruas de Salvador. Com a ajuda da amiga e parceira nos jogos, Ana, Glauber vai percorrer a cidade e descobrir que o jogo real pode ser perigoso: há outras equipes jogando e o tal homem misterioso acaba se tornando alguém bem mais perigoso do que Glauber pensava.

60min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Eduardo Oliveira

 

Jaçanã (BA)

Jaçanã é pássaro e é gente. É mulher que carrega corpo presente há setenta e seis anos. Mão de quem cura é mão quente. Suas mãos trazem em suas marcas a história da resistência Pataxó, tocando direta e profundamente as raízes dessa terra: formas ancestrais de cultivar, de colher e de curar, mantendo viva a cultura e os conhecimentos tradicionais de um povo originário onde a invasão brutal teve início.

26min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Clarissa Virmond, Laryssa Machada e Yasmin Alves

 

Joderismo (BA)

Brasil, 2019. Joder é diagnosticado.

25min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Marcus Curvelo

 

Me Ho Ye (BA)     

Bright é um estudante ganense que vem ao Brasil em busca de oportunidades e reviravoltas. Um dia, ao acordar, descobre que a maior delas sempre esteve ao seu lado. Um olhar intimista sobre o afastamento de quem realmente somos nos dias de hoje.

15min

Classificação Indicativa: 10 Anos

Direção: Marcus Barbosa

 

Motriz (BA)

Apesar dos olhos d’agua, Bete carrega consigo um sorriso largo que entrelaça a dor, o afeto e a saudade das filhas.

15min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Tais Amordivino

 

Não falo com estranhos (BA)

Gabriel é um cara patologicamente romântico. Prefere viver dentro de si as aventuras que sabe que nunca iria viver. A sala de espera do consultório de um dentista se torna seu habitat natural.

17min

Classificação Indicativa: 10 Anos

Direção: Klaus Hastenreiter

 

Necropolis (BA)

Milena (Ruthe Maciel) é uma sobrevivente solitária que vive no semiárido nordestino em um mundo pós-apocalíptico. Um fungo contaminou a população mundial transformando as pessoas em zumbis e, nesse cenário, Milena precisa descobrir seus valores e mostrar a sua força em sua luta diária pela vida.

15min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Italo Oliveira

 

O melhor dia do ano (BA)

No dia do décimo sexto aniversário de Matheus, seus pais, que se encontram apenas uma vez no ano, se juntam para comemorar o aniversário do filho. Divorciados, eles acabam brigando, e o que deveria ser o melhor dia do ano para Matheus, acaba sendo um dos piores.

24min

Classificação Indicativa: 10 Anos

Direção: Alan Leonel

 

O vitrolinista (BA)

E se você pudesse ouvir a música interior de cada ser humano? É nesse realismo fantástico que Augusto, um senhor cego, após sofrer um acidente com sua vitrola, adquire um dom especial, passando a enxerga a  vida através da música, em busca de  se reconciliar com o maior trauma do seu passado.

19min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Rafael Lima

 

Onze minutos (BA)

No Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é violentada. Elisa precisa ir ao aeroporto. É noite e, no caminho, obstáculos vividos por quem é mulher.

17min

Classificação Indicativa: 14 Anos

Direção: Hilda Lopes Pontes

 

Poesia Azeviche (BA)

Poesia Azeviche, é um documentário que conta através das memórias dos compositores e letristas de destaque dos Blocos- Afros Tradicionais da Bahia, da Década de 70 aos Anos 90, a importância historia de suas canções para valorização da identidade negra e luta contra o Racismo na Bahia e no Brasil.

20min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Ailton Pinheiro

 

Redundancia (BA)

As voltas que a vida dá.

4min

Classificação Indicativa: 12 Anos

Direção: Wayner Tristao

 

Tempo (BA)

João, jovem fotógrafo, volta à sua cidade natal e encontra o avô com a memória fragmentada pelo Alzheimer.

15min

Classificação Indicativa: Livre

Direção: Victor Uchôa

 

Serviço Social do Comércio
Administração Regional no Estado da Bahia
Sede Administrativa - Av. Tancredo Neves,
1.109,Edif. Casa do Comércio, Caminho das
Árvores - Salvador/BA. CEP: 41820-021
CNPJ: 03.591.002/0001-90

Webmail

© 2011 ® Todos os Direitos Reservados - Conheça o Sesc Nacional - Sesc Nacional Uma entidade do Sistema - Fecomercio